nunca incomodar... quanto mais sei mais sei que menos sei

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.votação

Pode Portugal sair da crise sem a ajuda da Troika?
Sim
Não
= ver resultados =

.Abril 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.PRÉMIO CATIVA

07/2007 - Jorge Palma 08/2008 - Ricardo Araújo Pereira 09/2009 - José Bivar 10/2010 - Ana Drago 11/11/2011 - The Legendary Tiger Man 12/12/12 - Ricardo Araújo Pereira 26/12/13 - Rui Costa VII

.tradutor

.links

.subscrever feeds

blogs SAPO

.posts recentes

. GUARANY - pelos cafés do ...

. (...) o nevoeiro morno do...

. uma casa em beirute

. BRUTAL!!!

. de volta ao lugar de onde...

. prosas seguidas de diálog...

. 4 águas apresenta....

. os nossos dias (sobre) lu...

. On the Road Again

. começo a escrever a palav...

.4 águas/cativa editoras

5 euros (livro) + 2.5 (portes) = 7.5 euros vgcardeira@sapo.pt

.partículas

.horas amargas

.marcadores

. 25 de abril

. 4 águas

. actualidade

. adão contreiras

. adolescência

. aldeia

. alfarroba

. algarve

. ambiente

. américa

. amigo

. amigos

. amizade

. amor

. animais

. ano novo

. anselm kiefer

. antropologia

. arte

. bailados na penumbra

. beatles

. benfica

. blogue

. bob dylan

. cabanas

. cacela

. cacela velha

. canalsonora

. capitalismo

. cativa

. cidade

. cinema

. conceição

. contos

. corpo

. crime

. cultura

. democracia

. deus

. edições cativa

. educação

. eleições

. escritores

. eternidade

. faro

. felicidade

. fernando esteves pinto

. fernando gil cardeira

. filosofia

. fracturas intermédias

. futebol

. glorioso

. história

. homem

. humor

. jornais

. liberdade

. lisboa

. literatura

. livro

. livros

. loucura

. mãe

. memórias escritas

. mentira

. morte

. mulher

. música

. noite

. olhão

. partículas

. pensamento

. pintura

. poema

. poesia

. poeta

. política

. portugal

. praia

. prémio cativa

. relatividade

. restolho

. ria formosa

. romance

. rui dias simão

. sexo

. sociologia

. solidão

. substâncias

. tavira

. teatro

. televisão

. transeuntes

. transeuntes again

. turismo

. últimos

. verão

. viagem

. vida

. vítor gil cardeira

. todas as tags

.vendo


My blog is worth $5,645.40.
How much is your blog worth?

.arquivos

. Abril 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Agosto 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

Sexta-feira, 4 de Janeiro de 2013

GUARANY - pelos cafés do Porto

 

Dia 12, sábado, lá subirei, com grande sacrifício, à capital para a apresentação deste fabuloso livro da Joana Serrado e editado pela 4 Águas. Sacrifício pela viagem, não pelo livro. Ainda por cima tenho que voltar no mesmo dia pois, a treze, a minha querida mãe faz 80 anos. E esse dia não poderei deixar de estar junto a si todo o tempo.

 

"Da 12 de Janeiro de 2012, pelas 18H00, na Guilherme Cossoul de Campolide: Rua Professor Sousa da Câmara, 156 – Campolide (às Amoreiras), a sessão de apresentação do livro «GUARANY» de Joana Serrado, editado pela 4Águas.
O livro será apresentado por Nuno Júdice e Arie Pos, numa tertúlia em torno dos temas “Cafés”, “Poesia” e “Clássicos”.
Haverá leituras de poemas do livro por Inês Ramos.

sinto-me:
publicado por vítor às 16:28
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 20 de Outubro de 2012

(...) o nevoeiro morno do Levante.

 

Chegou ontem a casa e já está danadinho para ir por aí à aventura...


Começa assim:
"Não tinha pensado nisso. Os pensamentos também precisam das suas circunstâncias e estas não estão ao alcance da vontade. Acontecem quando ninguém as espera. Mais, emergem, muitas vezes, da realidade quando não são desejadas.
A avenida estendia-se, rude e crua, até ao fim do mundo. Alguns candeeiros iluminavam o nevoeiro morno do Levante. (...)"


Brevemente num sítio qualquer, as aventuras e desventuras dum poeta, bem acompanhado, à procura dum bar aberto na madrugada sem fim...

sinto-me:
publicado por vítor às 21:25
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 8 de Agosto de 2011

uma casa em beirute

 

Sylvia Beirute é um mistério. E os mistérios aspiram as pessoas, fazem-nas procurar o sentido das coisas.Se as coisas têm sentido e encaixam no racional que tudo reduz ao palpável e indistinto. Desde que conheci o primeiro poema de Sylvia que a sigo, digamos, religiosamente. Religiosamente no sentido (outra vez) de "religare". Conheço gente ligada à escrita que também se agarrou a esta forma de dizer, que entrou no labirinto à procura. À procura de Sylvia: da criadora, porque a criatura é-nos servida, pelo menos em parte, na casa em Beirute. O meu amigo Luís Serguilha até me contou que alguém lhe tinha contado que alguém lhe tinha contado (o mistério, sempre o numinoso mistério) que Sylvia não era Sylvia. Era um homem. E revelou-me, o que lhe tinham contado, depois de ser contado e recontado, o nome de dois possíveis carregadores da suposta poetisa. Conheço os dois e já os inquiri (verbo duro, mas foi com dureza que os interpelei), mas nada. Não sabem quem é. Um deles conta que já a viu e já se mailou com ela e garante-me que se trata mesmo de uma mulher.

Pois bem, o meu sócio Fernando Esteves Pinto conseguiu trazer a poetisa para as 4águas e publicar um seu primeiro livro." uma prática para desconserto" com uma capa belíssima. Para além de ser proprietário em 50% da referida editora, ainda acumulo com o pomposo título de "director editorial" da obra. O que me honra duplamente.

Anseio por conhecer tão misteriosa criadora...

sinto-me:
publicado por vítor às 18:29
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 10 de Abril de 2011

BRUTAL!!!

 

 

Brutal é um romance onde se representam todos os traumas da infância, da adolescência e da idade adulta resultantes da decadência humana: violência doméstica, abuso sexual e disfunção emocional. Brutal tem como base narrativa dois personagens que são um só – um jovem e um velho, duas idades da mesma pessoa, ambos fascinados pelo teatro – que, no cenário das suas próprias vidas, dramatizam impiedosamente os momentos que fundamentam e marcam as suas existências. Nesse palco do romance são postos em causa e analisados, até à humilhação de se sentirem culpados um do outro, na relação perversa que ambos sentem pela natureza humana. É um duelo entre a maldade e o remorso, onde o amor e a escrita são meros figurantes.

 

O novo livro de Fernando Esteves Pinto na Babel. O meu amigo, e sócio na editora 4águas, Fernando em grande. Merece-o. É um escritor fabuloso e um trabalhador incansável.

sinto-me:
publicado por vítor às 14:52
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 2 de Março de 2011

de volta ao lugar de onde nunca saiu

 

"Estavam calados. A sombra adensava-se no estreito recanto onde estavam estendidos. Numa parede resplendescia o oiro ténue e tranquilo da luz do poente. Ouviam o murmúrio do ribeiro, um leve sussurrar de folhas, algum pio rápido de uma ave, a minúscula obstinação de um insecto solitário.

Diante deles uma pequena janela em parte coberta pela folhagem de um arbusto. Pelo outro lado da vidraça, viam nuvens brancas, vagarosas, leves. Continuavam em silêncio, imóveis, extáticos, possuidores de uma serenidade imensa cheia de luz e sombra. Cada instante era uma longa vibração plena a que outro instante sucedia, igualmente pleno, igualmente vibrante, igualmente sereno. Nada esperavam no seu inteiro abandono fiel à densidade do silêncio. Não havia uma história a contar, uma palavra a dizer, o silêncio inundava-os e a maravilha latente tornava-se uma presença silenciosa, que era tanto do espaço como deles próprios em uníssono com ele."

 

Ramos Rosa como nunca o ... leu.

 

4 Águas Editora

sinto-me:
publicado por vítor às 19:29
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 23 de Janeiro de 2011

prosas seguidas de diálogos

A editora 4 Águas apresenta a nova obra de António Ramos Rosa. Prosas Seguidas de Diálogos. Uma pequena, independente e quase desconhecida editora do Algarve incendeia o panorama editorial, editando o maior poeta português vivo.

 

 

 

sinto-me:
publicado por vítor às 18:48
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 21 de Outubro de 2009

4 águas apresenta....

sinto-me:
publicado por vítor às 23:47
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 14 de Outubro de 2009

os nossos dias (sobre) lugares antigos

 

espacodememoria-patiodeletras.blogspot.com/2009/09/os-nossos-dias.html

sinto-me:
publicado por vítor às 23:34
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2009

On the Road Again

publicado por vítor às 23:03
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 16 de Janeiro de 2009

começo a escrever a palavra que me despe

 

Começo a escrever a palavra que me despe
do hálito da meia-noite deste frio
(acanhado sem mãos)
entre outras coisas de ver apenas poucas vezes...
Começo a escrever uma lua sonora dentro do peito
agora peneirada das abrangentes fuligens
ao acender-se um lume vivo quando te aproximas
estranhamente coadunável...
Vens?...
Grito caladamente para a noite
para a multicor indecência do escuro
mas não direi desta noite sua sombra
de meu ego pior
(Não começo a escrever)

 

 

Rui Dias Simão - Os Animais da Cabeça

sinto-me:
publicado por vítor às 15:32
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|