nunca incomodar... quanto mais sei mais sei que menos sei

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.votação

Pode Portugal sair da crise sem a ajuda da Troika?
Sim
Não
= ver resultados =

.Abril 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.PRÉMIO CATIVA

07/2007 - Jorge Palma 08/2008 - Ricardo Araújo Pereira 09/2009 - José Bivar 10/2010 - Ana Drago 11/11/2011 - The Legendary Tiger Man 12/12/12 - Ricardo Araújo Pereira 26/12/13 - Rui Costa VII

.tradutor

.links

.subscrever feeds

blogs SAPO

.posts recentes

. Palermices à beira duma p...

. anos sessenta...

. sem ti sou nada

. última dissolvência

. 7 contos ilustrados

. o passado está ao dobrar...

. o canto suave das aves ne...

. a alma do outro

. depois da chuva...

. Cicatrices

.4 águas/cativa editoras

5 euros (livro) + 2.5 (portes) = 7.5 euros vgcardeira@sapo.pt

.partículas

.horas amargas

.marcadores

. 25 de abril

. 4 águas

. actualidade

. adão contreiras

. adolescência

. aldeia

. alfarroba

. algarve

. ambiente

. américa

. amigo

. amigos

. amizade

. amor

. animais

. ano novo

. anselm kiefer

. antropologia

. arte

. bailados na penumbra

. beatles

. benfica

. blogue

. bob dylan

. cabanas

. cacela

. cacela velha

. canalsonora

. capitalismo

. cativa

. cidade

. cinema

. conceição

. contos

. corpo

. crime

. cultura

. democracia

. deus

. edições cativa

. educação

. eleições

. escritores

. eternidade

. faro

. felicidade

. fernando esteves pinto

. fernando gil cardeira

. filosofia

. fracturas intermédias

. futebol

. glorioso

. história

. homem

. humor

. jornais

. liberdade

. lisboa

. literatura

. livro

. livros

. loucura

. mãe

. memórias escritas

. mentira

. morte

. mulher

. música

. noite

. olhão

. partículas

. pensamento

. pintura

. poema

. poesia

. poeta

. política

. portugal

. praia

. prémio cativa

. relatividade

. restolho

. ria formosa

. romance

. rui dias simão

. sexo

. sociologia

. solidão

. substâncias

. tavira

. teatro

. televisão

. transeuntes

. transeuntes again

. turismo

. últimos

. verão

. viagem

. vida

. vítor gil cardeira

. todas as tags

.vendo


My blog is worth $5,645.40.
How much is your blog worth?

.arquivos

. Abril 2016

. Março 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Agosto 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

Terça-feira, 13 de Janeiro de 2009

SEBASTIÃO RICARDO, UM CURANDEIRO DE CACELA

Durante a minha longa vida conheci diversas pessoas que exerciam a actividade de curandeiros, embora tendo outra profissão principal.

   Os “endireitas” e os “emplastradores” eram sempre homens.

   As “curas” do aflito, do quebranto, do mau olhado, o exorcismo de espíritos maus e as sortes de cartas eram geralmente feitas por mulheres.

   Na minha opinião os curandeiros que conheci não curavam os males do corpo nem do espírito, pois tinham poucos conhecimentos para isso.

   Contudo, acredito que muitos dos doentes, que a eles recorriam, sentissem melhoras com os seus tratamentos, rezas e conselhos por sugestão e devido à fé que depositavam nas virtudes do “curador”.

   De todos os curandeiros que conheci houve um que atingiu grande destaque, pela grande quantidade de doentes que curou.

   Chamava-se Sebastião Ricardo e viveu no sítio da Venda Nova, Vila Nova de Cacela, entre cerca de 1890 e 1940.

   Em criança aprendeu a ler e a escrever e depois foi aprender a profissão de barbeiro.

   Nesses tempos alguns barbeiros faziam biscates de “medicina”, tiravam dentes, faziam sangrias e pouco mais.

   Desses tempos ficou o ditado, “Quem lhe dói o dente é que cata o barbeiro”.

   As sangrias baseavam-se na crença existente na época, de que o sangue na sua circulação durante muito tempo criava impurezas. Por esse motivo muita gente procurava os barbeiros, geralmente na Primavera, para serem sangrados. Estes faziam uma pequena incisão numa veia do pulso donde extraíam uma certa porção de sangue.

   Assim o organismo produzia sangue novo e puro que iria melhorar a qualidade de todo o sangue em circulação.

   Sebastião Ricardo aprendeu o ofício de barbeiro e também a praticar a “medicina” dos barbeiros da altura; com os anos foi alargando os seus conhecimentos e a sua actividade de curandeiro.

   Quando já tinha muitos doentes para tratar, passou a dedicar-se exclusivamente à “medicina”.

   Atendia alguns doentes em sua casa e visitava outros nos seus domicílios, tanto na freguesia de Cacela, como na freguesia de Conceição, do concelho de Tavira, e também em parte do concelho de Castro Marim, deslocando-se para o efeito numa mula que possuía.

   Sebastião Ricardo tratava de doenças relativamente simples como abcessos, afitos, cólicas, constipações, chagas, diarreias, eczemas, enxaquecas, enterites, erisipelas, fraquezas, flatos, furúnculos, humores, hemorragias nasais, icterícias, inflamações, panarícios, picadas de insectos, papeiras, queimaduras, quebrantos, sezões, sarnas, terçolhos, tinha e ataques de vermes intestinais, como ténias e lombrigas. Para outras doenças mais complicadas ele recomendava o recurso aos médicos da medicina convencional, que nesse tempo eram poucos.

   Aos seus doentes aplicava clisteres, cataplasmas, compressas, fricções, emplastros, ligaduras, inalações de vapor, sangrias, sanguessugas, suadoros, ventosas, etc.

   Como remédios usava alhos, vinagre, água salgada, álcool, cerveja preta, caldos de galinha, mostarda, papas de linhaça, vaselina, óleo de fígado de bacalhau, tintura de iodo, pó de talco, xaropes, unguentos, tónicos, purgantes, pomadas, e chás de tília, de flor de laranjeira, de erva Luísa, de salva, de malvas, etc.

   Com a sua medicina alternativa ganhou fama, e os seus doentes tinham grande confiança no seu saber e na maneira delicada com que os tratava.

   A sua morte, com cerca de 50 anos, foi muito sentida por todos os que o conheceram e ficou na memória do povo durante muitos anos.

    

(texto publicado no Jornal do Algarve possivelmente em 1998)

 

 

Em "Memórias Escritas" de Fernando Gil Cardeira

sinto-me:
publicado por vítor às 19:02
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Pedro a 14 de Janeiro de 2009 às 11:44
que maravilha!
Tens de arranjar maneira de conseguir reeditar estas pequenas pérolas.

Abraço

Pedro

Comentar post